Giovanni Oliveira

Giovanni Oliveira

23/09/2019

Liquidez e médias garantem sucesso do leilão da GAP Genética

Realizado neste domingo, 22 de setembro, em Uruguaiana (RS), mais precisamente na Estância São Pedro, em Uruguaiana (RS), o tradicional leilão da GAP Genética mais uma vez teve casa cheia para acompanhar o remate que é considerado um dos balizadores da temporada de primavera da pecuária gaúcha. O evento, a cargo da Trajano Silva Remates fechou com vendas de 584 animais das raças Angus, Brangus, Hereford e Braford e 39 equinos da raça Crioula.

 

Conforme o leiloeiro e diretor da Trajano Silva Remates, Marcelo Silva, que conduziu as sete horas de vendas na parte de bovinos, enquanto nos equinos o martelo ficou com Gonçalo Silva, o leilão ficou dentro das expectativas, com a liquidez garantida e um valor considerado positivo nas médias. “Todos ficaram muito satisfeitos. O leilão andou muito bem, com gente comprando de toda a parte do Brasil, como Paraná, São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul”, observou.

 

O grande destaque ficou por conta da venda do touro da raça Brangus, GAP Pancho, comercializado pelo valor de R$ 48 mil. Nas médias, os machos tiveram destaque no Brangus, com R$ 12,14 mil, seguidos do Angus, com R$ 9,25 mil, do Hereford, com 8,89 mil, e do Braford, com R$ 8,55 mil. Já nas fêmeas, a maior média também foi do Brangus, com R$ 4,95 mil, com o Braford em R$ 3,27 mil, o Angus, com R$ 3,17 mil e o Hereford com R$ 2,85 mil. Nos equinos, a média fechou em R$ 21 mil, com a égua Siciliana de São Pedro sendo a mais valorizada, comercializada a R$ 205 mil.

 

Foto: GAP Genética/Divulgação