Giovanni Oliveira

Giovanni Oliveira

08/03/2019

História da Trajano Silva

A empresa Trajano Silva Remates foi fundada em 11 de março de 1961 por Trajano Silva, iniciando suas atividades no Rio Grande do Sul. Entrou no mercado do agronegócio organizando leilões de Cabanha (venda anual de reprodutores), prática que adquiriu observando os remates realizados nos países vizinhos Uruguai e Argentina.

 

Em 1962, iniciou a comercialização de gado de corte. Como uma das pioneiras nessa atividade, destacou-se nacionalmente por ser uma das difusoras do sistema de comercialização de animais, solidificando no final da década de 70 as vendas em leilões em todo o Brasil.

 

A empresa é líder no mercado do RS, atendendo os mais importantes criadores das raças Angus, Brangus, Hereford, Braford e Cavalo Crioulo. Conta com base de 16 mil clientes sendo 5 mil ativos.

 

Em 2018: mais de 50 leilões foram realizados ao longo do ano com a venda de 2.197 mil bovinos e de 1.631 mil equinos. A liquidez nas pistas foi um dos destaques. Também as vendas foram bastante expressivas. Muitos animais comprados por investidores do Rio Grande do Sul e também dos Estados de Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, Ceará, Roraima, Tocantins e Distrito Federal.

 

A Trajano Silva se revigora a cada nova geração, conciliando sua expertise com soluções tecnológicas para alavancar novas oportunidades e propiciar os melhores resultados.

 

Dinastia de leiloeiros rurais é preservada há 58 anos

 

Manter vivo um legado familiar é assumir a continuação de sonhos e de valores passados de geração para geração. Muito mais do que genética ou riquezas materiais, as principais heranças que uma pessoa pode receber são os ensinamentos e os exemplos deixados pelos seus antecedentes.

 

O leiloeiro rural Marcelo Indarte Silva é um discípulo que seguiu as lições e os caminhos desbravados pelos mestres da família. Hoje, é ele quem está na condição de mestre e inspira os sucessores a não deixarem o “martelo” cair!

 

O futuro da dinastia de leiloeiros

 

Marcelo Silva tem um netinho, o Benício, filho do Gonçalo.  Se a tradição for seguida, em breve, a quinta geração de leiloeiros rurais da família estará com o martelo em mãos dando sequência a um antigo sonho, que se tornou realidade pois não foi sonhado sozinho. Ou seja, a dinastia será mantida enquanto esse for o sonho dos novos herdeiros da família Silva. “O futuro a Deus pertence, mas é claro que ficarei muito feliz se o Benício seguir os passos do pai, avô, bisavô…O tempo passa tão rápido, mas creio que ele seja nosso aliado. Tanto que se eu pudesse voltar no tempo, gostaria de ter aos 30 anos, a experiência e a sabedoria que tenho hoje. Mas, como isso não é possível, espero transmitir todo o conhecimento que adquiri para os meus netos.  É a vida que segue e se renova a cada geração”, conclui Marcelo Silva. Como já é de costume, essa “renovação” vem a galope e sempre é repassada de mestre para discípulo!